12-Nicole Combeau.jpg

TERESA FABIÃO é bailarina, educadora, pesquisadora e artivista. Possui um percurso multifacetado movido por trânsitos: trânsitos entre várias culturas; entre diferentes linguagens corporais (contemporâneo, clássico, danças africanas, afro-brasileiras, capoeira); e entre diversos contextos do fazer-pensar dança (contexto académico, artístico e popular). Nascida em Portugal, residiu por 8 anos no Brasil onde colaborou com diversos coreógrafos, bailarinos e mestres da cultura popular.

A pluralidade de Teresa é visível através do seu percurso formativo: Doutoramento em Artes Cénicas, Mestrado em Dança, Especialização em Terapia pelas Artes Expressivas no Tamalpa Institute (Califórnia), Pós-Graduação em Dança Contemporânea, Licenciatura em Som e Imagem, Curso Profissional na Escola de Dança da FUNCEB, Curso de Massagem Tailandesa. Formada em Gyrokinesis, lecionando em diversos contextos no Brasil e Portugal.

Cofundadora do VIRAL, coletivo pioneiro em Portugal que assenta  nas artes performativas como um espaço de ressignificação dos imaginários relacionados ao hiv. Contemplada pelo Programa EYE da União Europeia, com projeto que cruza as áreas da arte, educação e saúde. Recebeu várias bolsas e atuou/morou/lecionou em Portugal, Brasil, Espanha, Itália, Colombia, Benin, Cabo Verde, EUA.

Em 2021 estreia a performance UNA, uma pesquisa sobre os atravessamentos entre arte & vírus e sobre a sua jornada de dez anos como mulher vivendo com hiv, premiado pela Fundação Gulbenkian, Fundação GDA e pelo CAMPUS/Teatro Municipal do Porto/Rivoli.

 

Sua missão é (re)conectar as pessoas com a sabedoria de seus corpos e sua expressão criativa. A relação metafórica entre nossas posturas, movimentos e nossas atitudes na vida é parte central das suas criações e formações. Sua ação se expande por diferentes níveis de consciência (físico, emocional, mental, social, ambiental), compartilhando um caminho que combina desenvolvimento pessoal, expressão artística e comprometimento social. Teresa defende a dança como prática de transformação social, no seu potencial de aproximar pessoas e comunidades.

JÁ_DSC4074.JPG

~ Acredito na transformação pelo movimento ~
~ Acredito na transformação pela arte ~
~ Acredito na transformação pelo diálogo ~

JÁ_DDSC4315.jpg

SOBRE

Olá, eu sou a Teresa. Portuguesa, de alma viajante. Apaixonada por dança, viagens e corpos de cultura. Sou eterna buscadora e envolvida com diversas práticas de transformação pessoal – porque agir politicamente no mundo implica um caminho de autoconhecimento.

Danço desde os seis anos, a dança para mim sempre foi a melhor forma de expressão. Desde 1997, trabalhei com vários coreógrafos e participei em projetos colaborativos em Portugal e diversos outros países. Trabalho como professora e facilitadora de artes expressivas, desbloqueando a criatividade, e ensinando técnicas de movimento & práticas de consciência corporal. Desde 2017, estou envolvida com a área de inclusão através da arte, onde, baseada numa abordagem terapêutica e artivista, trabalho com o público geral e com comunidades marginalizadas, estimulando a empatia e a aceitação/ valorização da diferença.

Sabendo do desgaste físico da minha profissão, cedo comecei a procurar técnicas e abordagens somáticas que me permitissem lidar com as lesões e as compensações posturais que surgem inevitavelmente. A formação em diversas técnicas holísticas (Gyrokinesis, Pilates e Hatha Yoga), tradições de dança distintas e a dedicação a distintos caminhos terapêuticos trouxeram-me um novo entendimento do corpo e despertaram-me para o poder de transformação e cura envolvidos nas artes do movimento.

Nas minhas criações e formações, partilho uma série de recursos somáticos e de movimento aprofundados ao longo de mais de trinta anos dedicados às artes do corpo, onde destaco a prática da capoeira, a formação na Gyrokinesis® e a abordagem expressiva Life / Art Process®. O meu diferencial é um percurso multifacetado: a nível de linguagens corporais, de realidades culturais e de uma arte socialmente engajada.

Tenho um trajeto bastante diverso, todas estas técnicas fazem parte da minha bagagem: Contemporâneo, Ballet, Capoeira, Gyrokinesis, danças africanas, danças afro-brasileiras, Samba e Sambareggae, Pagode, Arrocha, Forró, Gaga, Flying Low, Axys Syllabus, Movimento Autêntico, Butoh, Contato-Improvisação, Site-specific, Teatro físico, Isadora Duncan Technique, Dunham Technique, Biodanza, Dança Moderna, Dança Jazz, Hatha Yoga, Life Art/ Process, Pilates, Feldenkrais, RPG (Global Postural Reeducation), Body-Mind Centering. Porém, dança, para mim, sempre foi mais do que apenas performance, técnica ou virtuosismo. Sempre foi um meio de expressão e de diálogo, uma forma de descoberta de mim e do outro, uma forma de cura.

Entendo o corpo como um meio poderoso que nos permite entrar em contato com as camadas mais profundas do eu e do outro. Os nossos corpos são veículos de consciência e existe uma interconectividade entre a nossa vida, nossos corpos em movimento e a nossa expressão criativa. Isso significa que há uma relação metafórica entre nossas posturas, movimentos e nossas atitudes na vida. Encaro a dança como um laboratório para a vida e difundo a educação através da arte e do corpo (“embodied education”). Interessa-me a dança como conhecimento de si e do outro, num caminho de uma maior consciência, empatia, saúde, bem-estar e prazer na sua própria pele.

"O que me move é criar um espaço para maior consciência, diálogo, diversidade e transformação coletiva. Para mim, o movimento é uma experiência somática, terapêutica e artística, uma maneira de criar sentido, intenção e ser a mudança que queremos ver no mundo"

JÁ_DSC4310.jpg